quarta-feira, 14 de abril de 2010

ABRIL VERDE E AMARELO


Finalmente , alguém com coragem e dignidade no Senado protocolou no último dia 13 uma proposição ao Ministério da Justiça , para que seja criado imediatamente um Plano Nacional de Combate às Invasões de Terras no Brasil . A proposta foi feita pela senadora Kátia Abreu (DEM-TO) , presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) , no exato momento em que as quadrilhas do MST (Movimento dos Sem Terra) inaugura no país mais um "Abril Vermelho" , um festival de assaltos , invasões a fazendas e edificios públicos , roubos e destruições em nome da "reforma agrária" . Só num país desgovernado pelo radicalismo de esquerda , é compreensivel que alguém recorra à Justiça para pedir que se cumpra a lei e que se crie um plano para conter quadrilhas de fascinoras que há 18 anos , repetida e impunemente , devastam e inquietam a zona rural . A senadora pretende também criar uma campanha nacional denominada "Vamos tirar o Brasil do Vermelho ? Invasão é crime" , com o apoio de um milhão de assinaturas . Enquanto Kátia Abreu falava no Senado , o MST agia em todo o Brasil , semeando mortes e destruições . Em São Paulo , 150 quadrilheiros do movimento invadiram e ocuparam nas últimas horas três fazendas e cinco prédios públicos em Campinas , Taubaté , Borebi , Itapeva , Araraquara e Iaras .A Fazendas Tozan (antiga Fazenda Monte D´Este ), invadida em Campinas ,é considerada patrimônio histórico nacional e suas instalações datam de 1798 . Este é , pois , o momento de todos os brasileiros se unirem em torno da proposta da senadora e dizerem um basta a esse movimento criminoso que se sustenta graças ao silêncio de todos nós e que sobrevive graças ao apoio financeiro do governo Lula da Silva Soma-se a tudo isso a impunidade gerada pelo apoio direto ou indireto que lhes é concedido pela omissão da Justiça e das Forças Armadas . Por muito menos , as famigeradas "Ligas Camponesas" , de Francisco Julião , e das quais o MST é um simples aborto , tiveram da lei a resposta que mereciam em 1962. Na época êles gritavam no agreste pernambucano :" Reforma agrária já, na lei ou na marra . Com flores ou com sangue" . É hora de acordar , antes que seja tarde demais .

Um comentário:

Eduardo P.L disse...

Waldo,

parabéns por se juntar aos VERDES! Chega de VERMELHOS!