segunda-feira, 12 de abril de 2010

REBOLATION


É uma pena que grande parcela do mundo político brasileiro tenha incorporado de corpo e alma as inovações do Rebolation , o novo estilo musical inaugurado pelo baiano Parangolé e que mistura rebolados , ginástica corporal , gritos histéricos e uma série sincopada de idiotices e palhaçadas. Vale tudo no novo rítmo que , de música mesmo tem muito pouco ou quase nada . Entre os políticos , então , junto com a incorporação do rebolation , foi dada a ordem de liberar geral . Não existe mais a majestade que envolvia os mais altos cargos da República . A auréola de respeito e dignidade que fazia destacar , entre todos os demais , os ungidos para conduzir o destino do povo . O recato e a educação que impediam os líderes de se comportarem como se estivessem chafurdando em chiqueiros e lodaçais . A grandeza que fazia com que cada um reconhecesse os próprios erros e se penitenciasse perante a nação . A virtude de respeitar o cargo , cumprir a lei e honrar a Justiça . A coragem de defender sem vacilação as liberdades fundamentais , ainda que os principios radicais indicassem caminhos mais fáceis para sobreviverem no poder . Vale tudo agora , ao que tudo indica . Vale conspurcar nossa trajetória democrática , acercando-se de trogloditas radicais como Fidel e Raul Castro , Hugo Chavez e Evo Morales , Rafael Correa e Mahmoud Ahmadinejad . Vale chorar no túmulo daqueles que , ontem , eles mesmos vilipendiaram e trairam . Vale ofender , chamando-os de "fugitivos" , os exilados brasileiros que deixaram o país ameaçados pelo cárcere, pela tortura e pela morte durante o regime militar . Vale aplaudir e sustentar as tropas de apátridas que invadem fazendas , destroem plantações e condenam ao desemprêgo os trabalhadores rurais . Vale mentir . Vale fraudar . Vale comprar votos . Vale abrigar mensalões . Vale inaugurar obras inacabadas . Vale transformar o Parlamento num submundo de covardes e de omissos . Vale tudo , agora , até o dia em que a nação , indignada , os desaloje do poder e enterre definitavamente o reinado da impunidade . Nesse dia , que acreditamos não estar longe , de nada adiantará saber dançar o rebolation .

2 comentários:

Eduardo P.L disse...

Tocou fundo no ponto central!

Jose Osvaldo disse...

De há muito tempo, que LULA debocha das leis, instituições, imprensa e até do Poder Judiciário com seus "desmandos".Nao entendo: como se calam?
E a OAB, e a entidade de juizes e promotores?
Abaixo, uma adaptaçao de um poema de um escritor:

Poema da mente.

Há um presidente que mente
Mente de corpo e alma, completamente
E mente de uma maneira tao pungente
Que a gente acha que ele mente, mente sinceramente
Indecentemente
E mente tão nacionalmente
Que acha que mentindo história afora,
Vai nos enganar....eternamente...
Waldo, um abraço
e vamos cantar juntos:
O Brasil pode mais!!!! O Brasil não tem dono...
O Brasil é do povo brasileiro...

Silvano