sexta-feira, 9 de abril de 2010

O PRÍNCIPE MALDITO


Revirando hoje meu baú de anotações , deparei-me com uma que havia selecionado para posterior pesquisa . Pena que não passei das intenções . Era sobre um jovem membro de nossa familia imperial , o príncipe Pedro Augusto de Bragança Saxe e Coburgo , que recebeu todas as atenções , cuidados e estudos para suceder no trono do Brasil o imperador D. Pedro II , seu avô .( Na foto,com a familia real , o píncipe é o primeiro à esquerda) . Raríssimas vezes comentado ou citado na história , a vida e a morte de Pedro Augusto foi transformada em livro pela historiadora Mary Del Priore , que lhe deu o título de "Principe Maldito" . A obra , que não cheguei a ler , foi comentada anos atrás na revista "Aventuras na História" pelo jornalista Kalleo Coura e despertou muita atenção , inclusive a minha , pelo inusitado do tema e das circunstâncias . De uma beleza que não era comum na côrte portuguesa , o príncipe se destacava pela cultura , pela elegância e pelo modo refinado com que curtia a vida . Era o primogênito da princesa Leopoldina , fato que não o colocava na linha direta de sucessão . Que fatores , então , fizeram com que ele fosse escolhido para suceder o avô no trono ? Um fator apenas : por julgar que a princesa Isabel e o Conde d´Eu fossem estéreis , ninguém acreditava que o casal pudesse um dia conceber uma criança que , legalmente , ocuparia o primeiro lugar na linha sucessória . Somava-se a isso a antipatia que a parelha real despertava no cidadão comum e entre os fazendeiros , devido especialmente ao fato da princesa Isabel ter assinado a lei de abolição da escravatura . Assim , tudo se encaminhava a favor de Pedro Augusto , inclusive as simpatias do avô . Mas o sonho foi destroçado anos depois , quando Isabel e o conde conceberam Pedro de Alcântara , que passou a ser o legítimo sucessor de Pedro II . O jovem príncipe Pedro Augusto transformou-se num psicótico maníaco-depressivo . Seu estado mental piorou consideravelmente com a proclamação da República , em 1889 , e a consequente expulsão da familia real . Aos 23 anos , muito doente , exilou-se na Áustria , onde recorreu aos cuidados de Sigmund Freud , o criador da psicanálise . De nada adiantou . Internado num manicômio , nele vegetou por mais de 40 anos . Quando morreu , às vésperas de completar 68 anos , era assaltado por sucessivas alucinações nas quais se via assumindo o trôno e recebendo o título de D.Pedro III , Imperador do Brasil . É interessante ressaltar que Freud , tal como Pedro Augusto , teve igualmente um fim de vida doloroso . Em 1937 , aos 81 anos , sofrendo de câncer e livrando-se das dores graças a poderosas doses de morfina ,foi obrigado a assinar uma declaração na qual elogiava o regime nazista que invadira e ocupara o país . Foi a única maneira de poder deixar a Áustria anexada e partir para o exílio na Inglaterra , onde morreu dois anos depois .

Um comentário:

Eduardo P.L disse...

Uma pena que o Jorge Pinheiro ( grande historiador e conhecedor das histórias de Portugal e do Brasil), esta viajando. Ele gostaria de conhecer esses detalhes!