sábado, 10 de abril de 2010

MACHU PICHU E MORRO DO BUMBA


Há 600 anos , quando ainda não existiam figuras como Lula da Silva , Sérgio Cabral , Eduardo Paes , Geddel Vieira Lima e tantos outros omissos e incompetentes , um povo ergueu uma cidade no topo do pico escarpado de Huayna Picchu , no vale do rio Urubamba , onde se localiza hoje o Peru. Conduziram enormes e pesados blocos de pedras lá para alto , exatamente a 2.460 metros acima do nivel do mar . Com elas construiram suas casas , templos , armazens para estocar alimentos , praças e mausoléus reais . Rasgaram as colinas íngremes e perigosas da montanha e nelas instalaram a sua zona rural , de onde tiravam tudo o que precisavam para sua subsistência . Era Machu Pichu ( foto ) também conhecida como Cidade do Céu , o símbolo mais extraordinário da civilização e da sabedoria Inca .No alto dessa montanha viveram durante séculos mais de mil pessoas . Seissentos anos decorridos , até hoje subsistem partes da construção original . Intáctas . Como um desafio ao tempo . Como uma lição aos políticos modernos . Como patrimônio histórico da humanidade . Como uma das sete maravilhas do mundo . Olhar para Machu Pichu e depois desviar os olhos para os morros do Rio de Janeiro e de Niterói , como os do Bumba , Prazeres , Rocinha , dos Macacos , Borel , Turano e tantos outros ,envergonha e entristece . As famílias pobres que os habitavam , por ausência absoluta de opções , foram tragicamente tragadas nos ultimos dias por avalanches de lama e lixo que desceram violentamente pelas encostas e foram engolindo , um a um , os barracos miseráveis onde elas sonhavam os seus sonhos . Ontem , diante dos olhos aparvalhados de seus governantes , foram erguendo seus casebres em áreas de risco . Nas encostas dos morros que escondiam antigos lixões . Ao longo de áreas perigosas que já haviam sido condenadas por geólogos e especialistas . E desafiando abertamente as leis fundamentais de uso e ocupação do solo . Hoje , nada restou daquilo que foi sonhado e construido , a não ser um número inconcebível e lastimável de mortos , feridos e desaparecidos . E um imenso mar de lama , onde navegam tranquilos os que permitiram que essa barbárie acontecesse .

Um comentário:

Eduardo P.L disse...

Inteligente analogia!
Agora resta chorar os mortos e ter pena dos que perderam tudo que tinham, além de suas famílias!