segunda-feira, 26 de julho de 2010

UM INDIO CHAMADO CORAGEM


Volto a escrever hoje , depois de uma pausa longa e dolorosa . Cansei-me da inutilidade de ficar gritando no deserto . Sòzinho . Ensimesmado . Sufocando a cada minuto o grito que teima em saltar da garganta . Grito de revolta . De nojo . De asco , ao ver que as quadrilhas que assaltaram o poder continuam impunes , soberbas e ameaçadoras , num país que precisa de promulgar uma lei para que os fichas sujas não possam se candidatar a cargos eletivos . Para que os ladrões , os chefes de quadrilhas , os mercenários , os mentirosos , os assaltantes e os desavergonhados sejam mantidos à distância do tesouro nacional . Voltei a escrever , porque me senti recompensado com a atitude corajosa de Antonio Pedro Indio da Costa , o jovem candidato a vice-presidente na chapa de José Serra , ao denunciar publicamente : "As relações das Farc com o narcotráfico são tão conhecidas como as relações do PT , ou de petistas , com as Farc" . Embora êle tenha dito o óbvio , é preciso ressaltar que nem Serra ousara antes dar nome aos bois e colocar o dedo na ferida oficial . Coube a esse índio corajoso a nobre tarefa de alertar a nação para essa política externa podre e andrajosa que o governo Lula está impondo à Nação . Uma política de amancebamento com as mais violentas e brutais ditaduras que hoje imperam no mundo . Cuba , Venezuela , Irã e Guiné Equatorial são apenas exemplos onde , a mando de Lula , o chanceler Celso Amorim foi botar e chocar os seus ovos de serpente . Mas vem de longe o casamento do PT com as FARc, o grupo guerrilheiro mais violento que atua na Colômbia . Na década de 90 , ambos criaram o famigerado "Foro de São Paulo" . Pouco depois , Olivio Dutra recebeu com honras de chefe de Estado o líder das FARC , Hernán Ramirez . Em 2001 , a convite de parlamentares do PT , outro lider das Farc , Javier Cifuentes , participou de uma reunião esquerdista em Porto Alegre . Mais adiante , a revista "Veja" denunciou que o ex-padre transformado em guerrilheiro , Olivério Medina , reuniu-se com dirigentes do PT em Brasília , aos quais prometeu 5 milhões de dólares para a campanha de Lula em 2002 . Preso pela Policia Federal em 2005 , Medina ganhou o apoio aberto do PT para que não fosse extraditado para a Colombia. Em 2006 através de pedido assinado por Dilma Roussef ,então chefe da Casa Civil , a mulher de Medina , a paranaense Angela Slongo , foi nomeada para um cargo altamente remunerado no Ministério da Pesca . Segundo a revista "Cambio" , da Colombia , em 2008 foram descobertos e revelados e-mails trocados pelo então comandante supremo das Farc , Raúl Reyes , morto naquele ano , com Olivério Medina . Nas mensagens ambos afirmam ter relações muito boas com o chanceler Celso Amorim e com outros sete radicais do PT , inclusive o assessor de Lula , o conhecido Marco Aurélio Garcia . Será preciso dizer mais ?

3 comentários:

Eduardo P.L disse...

Anda DESANIMADO, Waldo????
Leia o meu post do O ÚLTIMO BLOG.
É para desanimar!
Abçs

Odair Black disse...

Eis o Indio verdadeiro:

Antonio Pedro de Siqueira Indio da Costa atuou como secretário de Administração da Prefeitura do Rio de Janeiro entre 2001 e 2006.

Entre as empresas fornecedoras de merenda escolar para a Prefeitura de São Paulo, apontadas pelo Ministério Público de São Paulo como formadoras de cartel e pagar propinas na Prefeitura de Serra e Kassab, está a Comercial Milano Brasil Ltda.

A empresa é velha conhecida da facção carioca dos DEMos, composta por César Maia, Rodrigo Maia e o deputado Índio da Costa, casado com Rafaella Cacciola, filha do ex banqueiro Salvatore Cacciola, preso dno Rio de Janeiro.

É alvo de inquérito na Delegacia Fazendária, e foi alvo de CPI na Câmara dos Vereadores carioca, em 2006, pelos mesmos motivos que está sendo denunciada em São Paulo.

Sob pressão, e para o escândalo não ganhar dimensões maiores, a prefeitura do Rio foi obrigada a fazer nova licitação, e, sem os vícios da anterior, gerou economia de R$ 11 milhões ao ano nos gastos com merenda.

Além da sangria nos cofres públicos, frutas estragadas, carne bovina com excesso de sebo e frango com gelo acima do permitido também eram problemas comuns na merenda do carioca fornecida pela empresa.

A corrupção no Rio, em 2005, aconteceu quando o genro de Cacciola, Índio da Costa, era Secretário Municipal de Administração e responsável pela licitação, quando o prefeito era César Maia.

Segundo apurou o relatório da CPI, e agora é objeto de inquérito policial na Delegacia Fazendária, o esquema de fraude na licitação se procedeu da seguinte forma:

O edital da licitação tinha entre as regras atrair um número expressivo de participantes.

As empresas Milano e Ermar agiram em jogo combinado. A Ermar apresentou recursos de impugnação contra todos os concorrentes, exceto contra a Milano, deixando caminho livre.

Com isso, as regras do edital não foram atendidas, e o genro de Cacciola, Índio da Costa, deveria ter cancelado o processo e feito outra licitação. Mas ele fez o contrário, e a Milano foi vencedora da licitação, ficando com 99% do fornecimento de gêneros alimentícios para a merenda.

O comportamento de Índio da Costa ainda levantou mais suspeitas ao insistir na contratação centralizada de fornecimento de merenda escolar quando, desde 2001, estudo da Controladoria Geral do Município (CGM) já recomendava a descentralização do sistema.

A evidência do prejuízo aos cofres públicos municipais, são os R$ 11 milhões a menos, quando houve a nova licitação, estendendo a participação a nove empresas fornecedoras de gêneros alimentícios.

Apesar de tudo isso, no ano de 2007, findo o contrato com a Milano, o sucessor de Índio da Costa na secretaria municipal de Administração, Wagner Siqueira, assinou despacho, publicado no Diário Oficial, em que afirma que a empresa "executou o contrato de forma satisfatória para o serviço público municipal (...), especialmente no que se refere a preço, qualidade e especificações".

Anônimo disse...

Não gostou , Black Man ? Come mais !!!