terça-feira, 11 de maio de 2010

O CASTIGO DO TRAIDOR


Tempos atrás a grande maioria dos diplomatas reunidos em Nova York se uniu em torno de um brasileiro , mistura de engenheiro e de diplomata , para que êle conquistasse a chefia da Unesco , o órgão das Nações Unidas responsável pelas áreas de Educação , Ciência e Cultura , da qual já era vice-diretor . Tratava-se de Márcio Barbosa , que já havia dirigido importantes organismos no Brasil , inclusive o Instituto Nacional de Pesquisas Especiais . Sua escolha e indicação era assunto pacífico nos corredores da Unesco e a aprovação de seu nome se devia , acima de tudo , à sua competência , integridade , cultura , capacidade profissional e vivência plena dos problemas afetos à entidade . Para o Brasil , uma honra . Para Márcio Barbosa , o reconhecimento de sua capacidade e o coroamento do longo trabalho realizado . Mas o sonho se desvaneceu quando o presidente Lula da Silva e o seu Ministério das Relações Exteriores trairam o compatriota e o arrastaram para fora do caminho . Por quê e para quê ? Simplesmente para conquistar o voto do Egito e seus aliados e , assim , assegurar uma cadeira permanente no Conselho de Segurança das Nações Unidas . Em nome do Brasil , trairam o Brasil . E que personagem mereceu o nosso apoio e o nosso voto para a direção da Unesco ? O do egipcio Farouk Hosny , notório por suas atitudes racistas e por mandar queimar livros que desagradassem ao seu paladar . A atitude do governo Lula da Silva chocou o mundo civilizado . A tal ponto que o próprio Hosny também foi alijado do páreo e a escolha final recaiu sobre a diplomata Irina Bokova , da Bulgaria . A brilhante jornalista Eliane Cantanhêde lembrou essa história em sua coluna da "Folha" , no último dia 11 . E é dela também a informação mais importante a respeito do assunto . Como se sabe, nosso presidente andarilho está arrumando novamente as malas para um nova viagem internacional , levando a tira-colo Celso Amorim . Vai a Doha , no Catar , para se reunir com o todo poderoso xeque Hamad Bin Kalifa Al Thani (foto) , que estará acompanhado , entre outros , de seu prestigiado e sempre presente ministro da Cultura . E sabem quem é êsse ministro ? Exatamente o brasileiro Márcio Barbosa , que Lula e Celso Amorim trairam e impediram de ser eleito diretor-geral da Unesco . E o reencontro indigesto para o petista se repetirá em breve , quando o xeque e seu ministro brasileiro visitarem o Brasil para participar do um fórum internacional . Como bem afirmou Eliane Cantanhêde , o castigo vem a cavalo . Ou a camelo .

2 comentários:

Eduardo P.L disse...

Onde será que esse Amorim e o Lula querem chegar? Será que somos cegos e só eles enxergam o caminho?

Waldo Claro disse...

Meu caro Eduardo : êles querem chegar exatamente no caminho e no lugar onde suas permanências no poder estejam asseguradas . Dona Dilma que o diga .